SAÚDE

São Paulo vacina 2,3 milhões contra a gripe em apenas 4 dias




Divulgação.

O Estado de São Paulo bateu um recorde histórico de imunização contra a gripe: mais de 2,3 milhões de pessoas foram vacinadas em apenas 4 dias. Isso representa uma média diária de 598 mil aplicações, indicando um aumento de três vezes na procura pelos grupos prioritários.
Entre os dias 23 e 26 de março, foram aplicadas doses em 350,3 mil trabalhadores de saúde (25,8%) e 2 milhões de idosos (42%). Coberturas vacinais similares só foram alcançadas entre esses dois grupos duas semanas depois da etapa destinada a eles, no ano passado.

Em 2019, a campanha foi disponibilizada para esses grupos no dia 22 de abril. Quatro dias depois, as coberturas vacinais eram de 8,5% entre profissionais de saúde (117,3 mil vacinados) e 14,3% dos idosos (692,5 mil).

Neste ano, idosos e trabalhadores entraram na primeira etapa de imunização para intensificar a prevenção de doenças respiratórias, no contexto de enfrentamento ao novo Coronavírus. Além disso, a partir de 30 de março serão imunizados profissionais das forças de segurança e salvamento, com antecipação em duas semanas para esse público.

“É fundamental garantir a prevenção dos profissionais de saúde que estão na linha de frente da assistência, assim como os que trabalham na área de segurança e salvamento e estão em contato direto com a população; além disso, precisamos proteger os idosos, mais vulneráveis a complicações pela gripe e também à COVID-19”, explica a diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica, Helena Sato, que ocupa também a posição de coordenadora substituta do Centro de Contingência de Coronavírus.

O início da campanha em 2020 foi antecipado em três semanas, graças à agilidade do Instituto Butantan, que entrega ao Brasil 75 milhões de doses da vacina. São 10 milhões de doses a mais do que as fornecidas ao país, no ano passado.

“A vacina irá prevenir a população alvo contra o vírus Influenza de três tipos e é fundamental para evitar complicações decorrentes da gripe, otites e sinusites. É indispensável que as pessoas respeitem as etapas para que não haja aglomerações nos postos, evitando a transmissão de doenças respiratórias, como a COVID-19 e a própria gripe”, reforça a diretora de Imunização da Secretaria, Nubia Araujo.

“A vacina não provoca gripe em quem tomar a dose, já que é composta apenas de fragmentos do vírus que causam a devida proteção, mas são incapazes de causar a doença”, explica.

As doses produzidas pelo Butantan nesse ano são constituídas por três cepas de Influenza: A/Brisbane/02/2018 (H1N1)pdm09; A/South Austrália/34/2019 (H3N2); e B/Washington/02/2019 (linhagem B/Victoria).




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



SAÚDE  |  03/06/2020 - 10h





SAÚDE  |  01/06/2020 - 10h







google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0