CONSUMIDOR

Com aumento da gasolina, etanol fica mais competitivo em SP, MG, GO e MT.


Foto:(Reprodução)

O preço médio da gasolina nos postos do Brasil subiu 1,83% na primeira quinzena de março ante fevereiro, para 7,006 reais por litro, interrompendo uma sequência de três meses em queda, segundo levantamento da ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas.
 
A alta dos preços ocorre em meio a uma nova pressão sobre o mercado de petróleo. Na semana passada, a Petrobras anunciou um reajuste de quase 19% para a gasolina, na esteira dos ganhos nas cotações no mercado internacional em função da guerra na Ucrânia.

Os dados da ValeCard mostram que Rondônia foi o único Estado a registrar recuo do preço médio da gasolina (-0,13%) no período, enquanto as altas mais fortes foram verificadas em Bahia (7,68%), Piauí (5,51%) e Acre (3,16%).

Com a alta da gasolina e um recuo no mercado de etanol, o combustível fóssil deixou de ser mais vantajoso em relação ao renovável nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso.
 
O preço médio do etanol no país, na primeira quinzena de março, foi de 4,676 reais por litro. O combustível teve uma queda de 1,20% em relação a fevereiro, quando chegou a 4,733 reais.

O método utilizado na análise, descontando fatores como autonomias individuais de cada veículo, é de que, para compensar completar o tanque com etanol, o valor do litro deve ser inferior a 70% do preço da gasolina.

A empresa monitora os preços do combustível por meio das transações realizadas com seu cartão de abastecimento em cerca de 25 mil estabelecimentos credenciados.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



CONSUMIDOR  |   30/06/2022 14h54





CONSUMIDOR  |   28/06/2022 10h51


CONSUMIDOR  |   27/06/2022 10h11







google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb