ECONOMIA

"Prévia da inflação" sobe 0,99% em fevereiro, maior nível para o mês desde 2016


Foto:(Divulgação)

O IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15), considerado a "prévia da inflação" oficial, subiu 0,99% em fevereiro.

O número é 0,41 ponto percentual (p.p.) maior que o de janeiro (0,58%) e representa a maior variação para o mês desde 2016, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (23).

No ano, o IPCA-15 acumula alta de 1,58% e, em 12 meses, de 10,76%, acima dos 10,20% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

O mercado esperava alta de 0,85% na comparação mensal e de 10,6% em 12 meses.
 
Educação e Alimentação lideram altas

Oito dos nove grupos pesquisados registraram alta em fevereiro, com exceção de Saúde e cuidados pessoais, cujos preços recuaram 0,02%, após a alta de 0,93% verificada em janeiro.

Como é esperado nesse mês por conta do movimento de volta às aulas, o maior impacto do índice veio do grupo Educação (0,32 p.p.), que também teve a maior variação positiva 5,64%.

O IBGE destaca nesse grupo a alta dos cursos regulares (6,69%), por conta dos reajustes praticados no início do ano letivo. As maiores variações, mostra a pesquisa, vieram do ensino fundamental (8,03%), da pré-escola (7,55%), do ensino médio (7,46%), da creche (6,47%) e do ensino superior (5,90%). Curso técnico e pós-graduação subiram 4,40% e 2,93%, respectivamente.

Na sequência das maiores altas, vieram Alimentação e bebidas (1,20% e 0,25 p.p.), que acelerou na comparação com o mês anterior (0,97%), e Transportes, que subiu 0,87% após queda de 0,41% em janeiro e contribuiu com 0,19 p.p. em fevereiro, disse o IBGE. Os demais grupos ficaram entre 0,15% de Habitação e 1,94% de Artigos de residência.
 
Já o grupo Transportes registrou em fevereiro alta de 0,87%, com destaque para veículos próprios (2,01%): automóveis novos (2,64%), motocicletas (2,19%) e automóveis usados (2,10%).

A pesquisa traz que os combustíveis ficaram estáveis em fevereiro (0,00%): enquanto o óleo diesel (3,78%) e a gasolina (0,15%) subiram, etanol (-1,98%) e gás veicular (-0,36%) registraram queda.

Entre os estados brasileiros, apenas Porto Alegre teve queda no índice (-0,11%), onde energia elétrica teve recuo de 7,05% e a gasolina, de 4,89%.

A maior das altas foi registrada na região metropolitana de São Paulo (1,20%), "influenciada pelas altas dos cursos regulares (6,39%) e dos automóveis novos (2,24%)", diz o IBGE.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM





google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb