CENÁRIO URBANO

A riqueza nasce de suas manifestações culturais.




Corpus Christis - Foto: Leandro Daher

Santana de Parnaíba sempre teve como uma característica marcante suas festas e manifestações culturais, quase todo o calendário é preenchido por estes, é difícil o mês que não encontramos a tradição ou a cultura em forma de festa. Destaco aqui, as principais do calendário.

Carnaval

O carnaval parnaibano segue no compasso do samba de bumbo, também conhecido como samba rural paulista. O samba de bumbo é de matriz africana, tem como peculiaridade o som grave, já que é composto por bumbos, zabumba e chocalho. Existem dois importantes sambas na cidade, são eles: O Samba do Cururuquara (Grupo 13 de Maio) e o Grito da Noite. Ambos com diferenças, mas com grande importância. O Samba do Cururuquara, tem como característica o samba de roda, samba de devoção, nasceu com a libertação dos escravos em 1888. Conta a histórias que os negros libertos sambaram por três noites e três dias. Descendente direto do Samba do Cururuquara, o Grito da Noite difere-se por ser o único samba de bumbo que sai em corso, ou seja, que desfila pelas ruas da cidade, tem tradição pagã e faz a abertura do calendário oficial do carnaval parnaibano. Na cidade existem outros sambas de bumbo que fazem a alegria dos foliões no carnaval: Galo Preto, Samba do Berro do Sexo Forte (só mulheres), Samba do Garnisé, Samba Briga de Galo, Esquenta do Sambão e Samba do Pé Vermelho.

Drama da Paixão

Com início ainda em meados dos anos 90, sob a direção do diretor parnaibano Edimilson de Andrade, a encenação das últimas horas de Cristo na cidade, tornou-se hoje a segunda maior do País. A encenação que começou tímida com alunos do antigo TEP (Teatro do Estudante Parnaibano), tem hoje centenas de figurantes e dezenas de atores.

As primeiras apresentações aconteciam no espaço localizado atrás da Igreja Matriz, mas com o sucesso do espetáculo, o espaço tornar-se pequeno e obriga uma mudança. A mudança trouxe também o agigantamento do cenário e das acomodações. Agora locado em uma área cedida pela EMAE, o espetáculo acontece próximo a Barragem Edgard Souza, atrai milhares de espectadores que vibram e se emocionam a cada espetáculo todo ano. Além de arquibancada, o espaço conta hoje com praça de alimentação, feirinha e uma completa infraestrutura que garantem segurança e a diversão de todos.

Corpus Christi

Não se tem ideia de quando as ruas de Santana de Parnaíba começaram a ser enfeitadas no dia de Corpus Christi, sabe-se que a partir de 1967, por iniciativa da Professora Emília Gil Assunção, foi o ano que a serragem começou a fazer parte da festa. A professora usou da criatividade e da fé para ficar mais próxima do seu atual marido, então namorado Rogério Assunção. Enfeitar as ruas era a forma encontrada para reunir toda a turma e, claro os casais enamorados.

Corpus Christi é uma das festas mais antigas da igreja católica em todo o mundo. Foi instituída pelo Papa Urbano IV, no ano de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade, que ocorre, por sua vez, no domingo seguinte aos Pentecostes.

Hoje são no total 850 metros de tapetes de serragem colorida que contornam todo o Centro Histórico. A festa até início dos anos 90, tinha tema livre, hoje o tema da festa é determinado pela Igreja Matriz e os quadros, por volta de 80, ficam sob responsabilidade do artista plástico Maia.

 





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



CENÁRIO URBANO  |  23/09/2020 - 17h





CENÁRIO URBANO  |  22/09/2020 - 07h


CENÁRIO URBANO  |  17/09/2020 - 08h







google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb