SAÚDE

Após 20 anos febre hemorrágica brasileira faz uma vítima.




Divulgação

Um novo vírus de nome Arenavírus causou uma morte na cidade de Sorocaba, que foi confirmada na noite de ontem (21) pelo Ministério da Saúde. O óbito foi decorrente a febre hemorrágica provocada pelo vírus. Segundo o Ministério da Saúde, o último caso registrado no Brasil foi há mais de 20 anos.

De acordo com as informações a doença é “considerada extremamente rara de alta letalidade e isso representa um fator de  risco significativo para a saúde pública, ainda que nenhum caso secundário tenha sido identificado até este momento da investigação.

As pessoas contraem a doença principalmente por meio da inalação de partículas, formadas a partir da urina, fezes e saliva de roedores infectados.

O período de incubação da doença é longo (em média de 7 a 21 dias) e se inicia com febre, mal-estar, dores musculares, manchas vermelhas no corpo, dor de garganta, no estômago e atrás dos olhos, dor de cabeça, tonturas, sensibilidade à luz, constipação e sangramento de mucosas, como boca e nariz. Com a evolução da doença pode haver comprometimento neurológico (sonolência, confusão mental, alteração de comportamento e convulsão).

O Ministério da Saúde divulgou um boletim epidemiológico onde pode ser encontradas mais informações.

O caso já foi comunicado à Organização Mundial de Saúde e à Organização Pan-americana de Saúde (OMS/OPAS), conforme determinam protocolos internacionais.

Os funcionários dos hospitais em que o paciente foi atendido e familiares da vítima estão sendo monitorados.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM






SAÚDE  |  07/02/2020 - 10h