POLÍTICA

Ciro Nogueira assume comando político das emendas do Senado


Reprodução

O ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, retirou da Secretaria de Governo o gerenciamento político das chamadas emendas parlamentares de relator atinentes ao Senado.

Elas têm valor aproximado de R$ 6 bilhões e vinham sendo gerenciadas pela ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, do PL. Na prática, porém, quem as operava politicamente era o ex-presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).
 
Diferentemente das emendas impositivas, em que o Executivo tem obrigação de pagar um percentual semelhante a todos parlamentares, as emendas de relator são de livre pagamento pelo relator do Orçamento, que é sempre um parlamentar, mas entram em uma negociação política junto ao Palácio do Planalto.

No Senado, quem liderava essa operação política com o Planalto era Alcolumbre. Ciro, porém, já assumiu esse gerenciamento e tem dito a interlocutores que esse deverá ser o principal instrumento para que ele consiga pacificar o Senado, principal foco de dificuldades hoje do governo.

Para o governo, a perda do gerenciamento dessas emendas por parte de Alcolumbre é um dos motivos das dificuldades que ele vem criando, por exemplo, ao não agendar a sabatina de André Mendonça.
 
Além disso, Alcolumbre foi o responsável pela articulação junto ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que resultou na indicação do nome de Rodrigo Pacheco (DEM-MG) para sucedê-lo. Pacheco tem dado sinais constantes de afastamento do Planalto.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



POLÍTICA  |   09/08/2022 16h13





POLÍTICA  |   07/08/2022 10h38


POLÍTICA  |   06/08/2022 10h55







google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb