POLÍTICA

CPI da Covid ouve reverendo que negociava vacinas.


Foto:(Jefferson Rudy/Agência Senado)

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid terá nesta terça-feira, 3, o depoimento do reverendo Amilton Gomes de Paula, apontado por representantes da Davati Medical Supply como um “intermediador” entre o governo federal e a empresa, que ofertava vacinas. Ele é fundador da Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários (Senah), uma organização não governamental. A reunião da CPI teve início por volta das 9h50.
 
O depoimento do reverendo estava agendado para o dia 14 de julho, mas foi adiado após ele apresentar atestado informando a “impossibilidade de comparecer ao depoimento agendado” pelo colegiado por problemas renais, confirmado por perícia médica do Senado.

Amilton de Paula foi convocado para depôr na CPI após ser citado no depoimento de Luiz Paulo Dominghetti, que afirmou ter agendado reuniões no Ministério da Saúde com o intermédio do reverendo. O ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, reconheceu ter recebido Amilton para falar sobre uma oferta de doses de vacina contra a covid-19.
 
Em trocas de mensagens publicadas pela revista Veja e confirmadas pelo Estadão, Dominghetti citou, no dia 16 de março, o presidente Bolsonaro e o reverendo Amilton ao falar da negociação de vacinas com o governo.

“Ontem, o Amilton falou com Bolsonaro, ele falou que vai comprar tudo”, disse o policial em mensagens reveladas depois que ele entregou o celular para perícia técnica. A mensagem foi enviada a um interlocutor identificado como “Rafael Compra Vacinas” – depois identificado como Rafael Silva, da Davati.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



POLÍTICA  |   23/09/2021 20h08


POLÍTICA  |   23/09/2021 15h55


POLÍTICA  |   23/09/2021 12h26




google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb