CULTURA

Spike Lee chama Bolsonaro de "gângster" na abertura do Festival de Cannes


Foto: (VALERY HACHE / AFP)

Durante a cerimônia de abertura da 74ª edição do Festival de Cannes, nesta terça-feira (6), o cineasta americano Spike Lee chamou o presidente Jair Bolsonaro de "gângster" ao discursar. "Este mundo é governado por gângsters., O Agente Laranja (Donald Trump), o cara do Brasil (Bolsonaro) e o (presidente russo Vladimir) Putin. Eles são gângsteres e farão o que quiserem. Eles não têm moral nem escrúpulos", disparou o realizador de filmes como "Faça a coisa certa", "Malcolm X" e "Infiltrado na Klan".
 
Lee, que deveria ter presidido o júri em 2020, quando o festival foi cancelado, é o primeiro negro a ocupar o posto. A seu lado, ele conta com figuras como Song Kang-ho, Mélanie Laurent, Mati Diop, Maggie Gyllenhaal  e o diretor brasileiro, Kleber Mendonça Filho, que em 2019 conquistou, ao lado de Juliano Dornelles, o prêmio do júri com "Bacurau".

Em 2021, o Brasil não conta com produções 100% nacionais em mostras paralelas de maior relevância, nem na disputa maior pela Palma de Ouro. Simbolicamente, o país participará do desfile pelo tapete vermelho com "Casa de antiguidades", filme de João Paulo Miranda Maria que estava elencado para a seleção oficial da edição cancelada pela pandemia.
 
Ainda há a presença brasileira na competição pela Palma de Ouro de curtas, com "Sideral", de Carlos Segundo, e "Céu de agosto", de Jasmin Tenucci.

Já a seção Cinefóndation, dedicada a curtas universitários, conta com "Cantareira", trabalho de conclusão de curso de Rodrigo Ribeyro na Academia Internacional de Cinema.

 





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



CULTURA  |   18/09/2021 16h02





CULTURA  |   18/09/2021 15h30


CULTURA  |   17/09/2021 17h52







google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb