POLÍTICA

Antes de ofender jornalista, Bolsonaro ouviu gritos de "genocida" e "fora".


Foto:( Isac Nóbrega/PR)

O presidente Jair Bolsonaro ouviu nesta segunda-feira (21) gritos de “genocida” e “fora Bolsonaro” ao chegar para visitar uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) em Guaratinguetá (SP). A visita não estava prevista na agenda oficial do presidente.
 
Na UPA, o presidente concedeu entrevista à imprensa e ofendeu uma jornalista da TV Vanguarda, afiliada da TV Globo. Irritado, Bolsonaro mandou a repórter Laurene Santos “calar a boca” depois de ser questionado sobre o uso de máscara.

“Eu chego como eu quiser, onde eu quiser, tá certo, eu cuido da minha vida”, disse. Na sequência, voltou a defendeu o tratamento precoce – estratégia sem comprovação contra a covid-19 e rejeitada por especialistas.
 
O chefe do Executivo afirmou ainda que a Globo faz um “jornalismo canalha, que não ajuda em nada“.

No sábado (19), a emissora divulgou um editorial a respeito das 500 mil mortes por covid-19 no Brasil. Sem mencionar o nome de autoridades do governo, o texto cita que “erros graves” foram cometidos ao longo da pandemia.
 
A deputada Carla Zambelli (PSL-SP) que acompanhou a visita à UPA publicou vídeo explicando a “treta entre jornalistas e o presidente“. A congressista reclamou que a imprensa não deu destaque para os investimentos do governo na área de em saúde de Guaratinguetá.



Confira o vídeo:






COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



POLÍTICA  |   15/09/2021 20h56





POLÍTICA  |   15/09/2021 15h49







google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb