PET

Ansiedade canina: saiba como identificar e tratar.


Divulgação

Muito conhecida pelos humanos, o transtorno de ansiedade não afeta somente a nós mas os animais de estimação também podem desenvolver a doença ao longo da vida.
Os cães são exemplos dessa doença, que pode ter diversas causas, como a falta de atividade física até a saudade do seu dono.

Outras causas incluídas para o desenvolvimento da ansiedade canina podem ser a insegurança, medo e até viver em um ambiente muito barulhento.

Por isso, é importante manter um cuidado e observar como o seu cão está se comportando, já que os problemas emocionais e psicológicos são perigosos tanto para os humanos quanto para seus animais de estimação.
 
Sintomas da ansiedade nos cães

Cada animal possui sua personalidade, portanto é preciso ter em mente que os sintomas podem variar.
Existem alguns estudos que mostram os sintomas perceptíveis nos cachorros e que o dono pode perceber mais facilmente.

Comportamentos estranhos, desenvolver mania de arranhar objetos, lambidas excessivas nas patas, falta de apetite e hiperatividade estão dentre os sintomas mais conhecidos.

Outros que se pode destacar são: choros frequentes, perseguição constante ao próprio rabo, comportamento eufórico e urinar em locais fora do comum.

Quando o dono percebe algum desses tipos de sintomas, é importante que ele observe mais o seu animal de estimação e leve-o para um veterinário para garantir que o tratamento correto seja aplicado.
 
Gatilhos para o cão se tornar ansioso

Passar muito tempo longe do seu cachorro de estimação pode até ser necessário, já que o trabalho exige isso, mas essa atitude também pode deixar o seu cão com muita saudade.

O dono pode notar que seu pet está ansioso se na hora de sair ele chora muito, dá vários uivos e latidos. É preciso estar atento, pois esse pode ser o primeiro sinal da ansiedade.

Por isso, o tutor não deve fazer aquelas despedidas tão dramáticas e sim deixar o pet tranquilo, demonstrando que irá voltar e que esse tempo sozinho é temporário e não para sempre.

Na hora da chegada, o seu pet pode fazer a festa, já que ele está feliz com o seu retorno, mas entenda que isso também não deve ser romantizado, para ele entender que é apenas um dia normal e que você sempre irá retornar.

Saiba que barulhos também podem causar riscos à saúde mental e emocional do pet, por isso os fogos de artifício são perigosos para os cães.

Geralmente as comemorações humanas tendem a ter muito barulho e fogos e acabam deixando os cachorros nervosos e com muito medo.

Além de causar muito medo, o barulho excessivo também traz riscos para a saúde física dos cães. Os riscos dele ter os tímpanos estourados e um ataque cardíaco são grandes.

Por isso, o ideal é sempre manter o cachorro em um local tranquilo, geralmente dentro de casa ele irá correr para um lugar que ele se sente acolhido.

Não force aproximação, mas, se o pet permitir, ofereça petiscos e mostre a ele que tudo está bem e que ele pode contar com você.

Evite gritar com o seu pet, isso também pode causar medo nele e deixá-lo mais ansioso ainda, então, se ele fizer algo errado, não grite ou se porte de forma agressiva já que isso só irá piorar a situação.
 
Como reduzir a ansiedade canina?

Quando o tutor percebe que o seu cão está ansioso, ele pode começar a criar uma rotina para o pet, seja estabelecendo um horário certo para brincadeiras ou passeios.

Essas pequenas atitudes na rotina podem estimular o pet a não se sentir tão sozinho e criar uma relação melhor entre cão e tutor.

Outra dica é dar ao seu cão uma dieta balanceada, já que a alimentação é um dos fatores  mais importante para a saúde do seu animal de estimação.

Hoje em dia, no mercado há rações específicas para as raças dos cachorros, por isso não ofereça uma alimentação diferente e garanta que aquela seja a ideal para o seu pet.

É importante que tanto a dieta quanto os exercícios físicos estejam em dia. A obesidade em cães também é um fator perigoso para o pet.

Portanto, busque manter uma boa frequência de exercícios com o seu animal de estimação. Tanto ele quanto você poderão realizar caminhadas ou corridas diárias que farão bem para ambos.
 
Se necessário, busque auxílio com um médico veterinário

É importante que o diagnóstico seja feito o mais rápido possível, já que a ansiedade, assim como nos humanos, pode evoluir para uma depressão canina.

O diagnóstico será feito pelo veterinário do cão e, a partir da identificação do transtorno de ansiedade, serão recomendadas algumas ações que ajudam a diminuir a ansiedade do pet.

Em alguns casos, pode ser que medicações para acalmar o pet sejam receitadas, mas lembre-se de nunca medicar seu pet sem antes consultar um médico veterinário de confiança.

Em estados de emergência, como nos casos de ataques cardíacos nos cães devido aos barulhos de fogos de artifício, o mais ideal é procurar uma clínica veterinária o mais rápido possível para ajudar o seu pet.

Procure sempre agir com responsabilidade com o seu animal de estimação, garanta o maior conforto e amor que ele pode receber!





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM





google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb