SAÚDE

Em uma década número de mães adolescentes reduz 21% na região





Por Veridiano Peixoto

Entre 2007 e 2017 nasceram 349. 982 crianças em oito cidades da região. Deste total 50.372, equivalente a 14.39% foram provenientes de gestantes adolescentes, na faixa etária de 15 a 19 anos, é o que mostra um levantamento realizado pelo jornal O Anhanguera a partir dos Microdados do Registro Civil para o Estado de São Paulo, da Fundação Seade, que ainda apontou uma redução na região de 21% dos partos de mães adolescentes no período.

                                   Número dePartos de Mães na faixa etária de 15 a 19 anos

Município20072008200920102011201220132014201520162017
Barueri82875480751790811795753664607552
Cajamar188181160150211197162193167147174
Carapicuiba1020103196210099431062111010571042996883
Itapevi673626684709690730748781749642632
Jandira283291241271255260254286277267205
Osasco15521491139113621428140014281392145213561116
Pirapora5552443224415053474455
Parnaíba245236271254269263252286256255209
            
Total48444662455745384610476447994801465443143826

Dentre os municípios que obtiveram maior queda, Barueri aparece em primeiro com 33%, seguido por Osasco com 28% e Jandira com 27,5%. Para tabulação dos dados foram utilizadas as variáveis de Mães Residentes no Estado de São Paulo entre 2007 e 2017, o município de residência da mãe, e sua faixa etária. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgados em 2018 revelaram que na América Latina e no Caribe, a taxa de gravidez entre adolescentes é a segunda maior do mundo, superada apenas pela média da África Subssariana.

Na América Latina e no Caribe ocorrem anualmente em média 66,5 nascimentos para cada 1 mil meninas com idade entre 15 e 19 anos, enquanto o índice mundial é de 46 nascimentos em cada 1 mil meninas. Apesar dos indicadores apontarem redução, a situação ainda continua preocupante, inclusive no início deste ano, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) sancionou a Lei n° 13.798, que acrescenta ao Estatuto da Criança e do Adolescente, artigo instituindo a data de 1° de fevereiro como início da Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, onde durante o período, atividades de cunho preventivo e educativo deverão ser desenvolvidas conjuntamente pelo poder público e por organizações da sociedade civil.

MunicípioRedução
Barueri33%
Osasco28%
Jandira27,5%
Santanade Parnaíba15%
Carapicuíba13,5%
Cajamar7,5%
Itapevi6%
Piraporado Bom Jesus0%





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM






SAÚDE  |  07/02/2020 - 10h