CENÁRIO URBANO

Governo não cumprirá cronograma de vacinação pelo 2º mês consecutivo


Divulgação

O Ministério da Saúde disponibilizará apenas 73% das vacinas prometidas para março. Será o 2º mês consecutivo que o governo não consegue cumprir o cronograma de entrega.
 
No dia 19, no último cronograma apresentado pela área da saúde, o governo previu que seriam entregues 38 milhões de doses em março, mas, até o dia 31 de março, terão sido distribuídas apenas 27,6 milhões.

Caso a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) não entregue as doses prometidas, o número pode baixar para 24,7 milhões (65% do previsto).

Para abril, a Fiocruz também já indicou que não conseguirá realizar a entrega prevista de 12 milhões de doses.

Desde o começo da campanha de imunização até a tarde de sexta-feira (26), o governo federal afirmou ter distribuído 30,7 milhões de doses.
 
O novo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta semana que a meta do governo é vacinar 1 milhão de pessoas por dia.

A principal falha na programação está relacionada à Covaxin, vacina indiana comercializada no Brasil pela Precisa Medicamentos.

A previsão para março era entregar 8 milhões de doses da Covaxin, mas a empresa não confirmou se elas estarão disponíveis até o final deste mês.

“Fizemos a solicitação de licença de importação e estamos atendendo todas as demandas para buscar atender ao cronograma”, diz nota da Precisa Medicamentos.

No entanto, a Covaxin não poderá ser usada agora porque ainda não tem autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que diz que faltam documentos a respeito do imunizante.

O problema se estende à vacina de Oxford, produzida pela Fiocruz, a previsão era de entrega de 3,9 milhões de doses em março. Até o momento, o laboratório entregou cerca de 1 milhão.

No caso da Coronavac, o Ministério da Saúde afirmou que o Instituto Butantan entregaria 23,3 milhões de doses em março, mas, o dia 31, o total será de 22,7 milhões.

Também há, ainda, uma falha de comunicação. O Butantan diz que o Ministério da Saúde considerou para março 600 mil doses que foram entregues em fevereiro.
 
O problema com a entrega das vacinas acontece no pior momento da pandemia. No sábado (27.mar.2021), o Brasil registrou 3.438 mortes por covid-19. Foi o 2º dia seguido que o país confirmou mais de 3.000 vítimas em 24h.

Ao todo, já morreram no Brasil 310.550 pessoas vítimas da covid-19.
 





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



CENÁRIO URBANO  |   15/05/2021 11h28


CENÁRIO URBANO  |   15/05/2021 11h21


CENÁRIO URBANO  |   14/05/2021 10h30




google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb