SAÚDE

Não combinaram com os russos. Anvisa suspende prazo de análise para novo pedido emergencial da Sputnik V


Divulgação

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informou no dia de ontem (27) que suspendeu o prazo de 7 dias para a análise do pedido de uso emergencial da Sputnik V.
 
O segundo pedido de uso emergencial da vacina russa foi feito na sexta-feira (26) pelo laboratório União Química. Pela regra, a agência teria até 7 dias para concluir a análise. Mas os prazos foram suspensos pela ausência de “documentos considerados importantes”.

“Conforme previsão legal, houve a suspensão da contagem dos prazos, até que a empresa apresente as informações descritas como ‘não apresentado’ no painel divulgado”.

A agência informou que continuará a análise dos dados já apresentados.

No início desta semana, antes do registro do pedido, a Anvisa disse que precisava ter acesso aos dados brutos dos testes da vacina, um requisito para o pedido de uso emergencial no Brasil.

No dia 12 de março, o Ministério da Saúde assinou um contrato para a compra de 10 milhões de doses da Sputnik V.
 
Governadores do Consórcio do Nordeste assinaram a compra de outras 37 milhões de doses.

Até o momento, o Brasil tem usado a vacina CoronaVac, produzida em parceria com o Instituto Butantan, e a AstraZeneca/Oxford.

A vacina da Pfizer já obteve registro definitivo pela Anvisa e foi comprada pelo governo, mas a entrega do primeiro lote ocorrerá apenas em abril.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM





google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb