CENÁRIO URBANO

Investimento da "Cidade da Diversão" anunciada por Cezar equivale ao valor de três Beto Carreiro World


O Secretário Estadual de Turismo, Vinícius Lummertz e o Deputado Estadual Cezar (PSDB) apresentando em papel o projeto da Cidade da Diversão - Reprodução

Há pelo menos 1 semana o Deputado Estadual Cezar (PSDB) tem utilizado suas redes sociais para difundir a informação sobre a implantação de um empreendimento turístico em Santana de Parnaíba, denominado “Cidade da Diversão”, que segundo o próprio parlamentar está na ordem de R$ 3 bilhões em investimentos, e a perspectiva de 6 mil empregos, justamente em um momento que a cidade de Santana de Parnaíba lidera a variação de desempregos na região, segundo o CAGED.

Cezar chegou a se reunir com o secretário de Estado de Turismo, Vinícius Lummertz, além de membros da Secretaria Estadual de Logística. Em ambos os encontros o deputado solicitou que o governo estadual realize investimentos em obras de mobilidade urbana.
 
Ainda de acordo com Cezar o empreendimento será desenvolvido pela Sispar Incorporadora e Construtora, que é proprietária do terreno. Um dos diretores da construtora Silvio Sandoval Filho, que esteve ao lado do parlamentar na secretaria de logística chegou a se se manifestar a respeito do empreendimento “Será um grande prazer conquistar a possibilidade de manter essa cidade que vai ser um marco em tudo aquilo que se fala em direção e turismo” afirmou. Contudo, não deu detalhes, ou pelo menos não foram revelados sobre a localidade, estrutura e prazos, apenas algumas folhas, essas aliás apresentadas em vídeo pelo secretário de turismo ao lado de Cezar, as quais é possível ligeiramente identificar uma montanha russa.

O anúncio desse investimento vem justamente no período mais crítico em um dos setores mais afetados economicamente pela pandemia do novo coronavírus. Levantamento realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo – Fecomércio, o setor de turismo no estado de São Paulo entre março e novembro de 2020 perdeu R$ 51,5 bilhões em faturamento. Já a Confederação Nacional do Comércio de Bens e Turismo (CNC) calculou que no mesmo período o prejuízo no país chegou a mais de R$ 261 bilhões, e estima que o setor só deve voltar ao nível de geração de receitas pré-pandemia apenas no fim de 2022.
 
Outro ponto que causa surpresa é sobre os valores envolvidos, na ordem de R$ 3 bilhões. O Anhanguera realizou um comparativo entre a “Cidade da Diversão”, e os maiores e mais conhecidos parques temáticos do Brasil, e todos eles apresentam valores menores, como é o caso do maior deles, o Beto Carrero World, inaugurado em 1991 na cidade de Penha em uma área de 14 milhões de metros quadrados, e que em 2019 quase foi vendido ao Grupo Madero e Cacau Show por R$ 1 bilhão. Outro gigante, o Hopi Hari, inicialmente idealizado pelo Playcenter, mas posteriormente feito pela GP investimentos em uma área de 760 mil metros quadrados e inaugurado em 1999 custou U$ 200 milhões. O Beach Park em Fortaleza, um dos maiores do Nordeste, anunciou recentemente a construção de seu segundo complexo turístico e de hotelaria com um resort de luxo com 450 apartamentos em uma área de 9,7 hectares a um custo de R$ 1,6 bilhão. Em São Paulo destaca-se Thermas de Laranjais, em Olímpia, que gaba-se de ser o parque aquático mais visitado da América Latina, com quase 2 milhões de visitantes por ano, onde o Thermas Park Resorts / Hot Beach, 4 hotéis, custaram R$ 500 milhões em 2017.
 
Na região, mais precisamente em Cotia foi inaugurado em 2019, um Parque Temático chamado Thermas da Mata, inspirado nos parques de Caldas Novas e Olímpia em 200 mil metros quadrados, com duas piscinas com capacidade de 1 milhão de litros de água, um hotel com 60 apartamentos, pousada com 20 quartos, e 27 chalés e teve R$ 12 milhões em investimentos.
  
Já quanto a promessa de empregos em decorrência da implantação do empreendimento os números também são altos, 6 mil. De acordo com a Associação das Empresas de Parques de Diversões do Brasil - ADIBRA o setor envolvendo todas as categorias que vão de Parque Aquático, a maior empregadora com 3525 pessoas, Parque Temático e mais 6 categorias juntas empregavam 5600 pessoas em 2019, número inferior daquele anunciado pelo parlamentar.

O Anhanguera entrou em contato com a Secretaria Estadual de Turismo que enviou a seguinte resposta ao questionamento:

"A Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo tomou conhecimento do projeto por meio do deputado estadual Cezar, que visitou a Secretaria recentemente para tratar do assunto. Na ocasião foi apresentado o masterplan do possível empreendimento,  e a Secretaria Estadual de Turismo colocou-se à disposição para quando houver mais informações, consiga auxiliar de forma positiva, uma vez que trata-se de um empreendimento com todo potencial de geração de emprego para o turismo e para a recuperação econômica". 


Já  a assessoria do deputado  não responde  até o fechamento dessa matéria .

*Matéria atualizada com a resposta da Secretaria Estadual de Turismo
 
 





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



CENÁRIO URBANO  |   22/09/2021 16h52





CENÁRIO URBANO  |   22/09/2021 15h42


CENÁRIO URBANO  |   22/09/2021 10h27







google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb