POLÍTICA

Principal insumo da vacina de Oxford, também será importado da China




Divulgação

Após o atraso na chegada dos 2 milhões de doses já prontas da vacina de Oxford compradas da Índia, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, deve conversar neste fim de semana com integrantes da diretoria da Fiocruz para discutir sobre a produção do imunizante pela fundação. Segundo auxiliares de Pazuello, o titular da Saúde quer ouvir da Fiocruz quais são as perspectivas mais atualizadas para o início da produção da vacina de Oxford no Brasil, a capacidade real de produção e de que forma o órgão conseguiria acelerar esse processo.

Segundo assessores, após o Índia atrasar a liberação das doses prontas, Pazuello quer acelerar o processo de produção própria do imunizante. Fontes da Fiocruz disseram à CNN que a fundação, porém, ainda depende da chegada do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA).
 
Principal insumo da vacina de Oxford, o IFA será importado da China. A expectativa era de que o insumo tivesse chegado ao país nesta semana, o que não se concretizou. A Fiocruz tem dito que, por enquanto, segue sem data confirmada para a chegada do ingrediente.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



POLÍTICA  |   26/02/2021 20h43





POLÍTICA  |   25/02/2021 18h02


POLÍTICA  |   25/02/2021 17h24







google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb