CENÁRIO URBANO

Perigo na Praia.




Praia Martim de Sá/Caraguatatuba. Foto:(Rede Social)

Todo o litoral foi colocado na fase vermelha do Plano São Paulo, devido ao aumento nos casos de covid-19, mas o litoral norte decidiu manter o acesso livre às praias. Já algumas prefeituras do litoral sul, como as de Santos e Guarujá, optaram por bloquear o acesso à faixa de areia com gradis, telas e faixas zebradas para evitar aglomerações.

Mesmo assim, a virada do ano teve praias invadidas por banhistas e tomadas por aglomerações em quase todo o litoral de São Paulo. No litoral norte, com o acesso às praias liberadas, turistas causaram grandes aglomerações na faixa de areia e foi necessária a intervenção da Polícia Militar. No litoral sul, praias interditadas foram invadidas no Guarujá e em São Vicente. Sem condições de controlar a multidão de turistas, a prefeitura do Guarujá antecipou para a manhã desta sexta-feira (1), a reabertura das praias, que estava prevista somente para domingo (3).
 
Em Ubatuba, no litoral norte, banhistas se aglomeraram e causaram tumulto com o uso de som alto na Praia Grande, a principal da cidade. Apesar das praias liberadas, uma lei municipal proíbe o som alto. A Polícia Militar interveio e dispersou a multidão. "Vimos a necessidade de fazer uma ação para dispersar a multidão que se aglomerava em torno do som, mas ninguém ficou lesionado", disse o capitão Guilherme Aquino, comandante da PM local. Segundo ele, houve mais de 20 autuações por excesso de som e cada uma resultou em multa de R$ 5 mil.

Em Caraguatatuba, na mesma região, milhares de pessoas se aglomeraram durante o réveillon na praia Martim de Sá. Havia som alto e a maioria não usava máscaras, segundo registros feitos por moradores. Muitos jovens realizaram 'fluxos' pela orla. Na manhã desta sexta, viaturas da PM dispersaram a multidão. Mesmo com o tempo fechado, as praias continuaram lotadas ao longo do dia.
 
Na cidade do Guarujá, na hora da virada, banhistas invadiram a Praia de Pitangueiras, na região central, que estava fechada com gradis. Guardas municipais tiveram dificuldade para retirar os invasores. Houve registros de grupos ocupando a faixa de areia com cadeiras e guarda-sóis. Na manhã desta sexta, a prefeitura decidiu liberar o acesso às praias da cidade. Os gradis foram retirados por volta das 11 horas. Segundo o município, a medida foi tomada por não terem sido registrados eventos graves durante o período de interdição, apesar do grande número de turistas que estão na cidade.

Em Santos, outra cidade que fechou as praias, a prefeitura informou que a restrição será mantida. Conforme o município, a população colaborou e respeitou a interdição, mantendo as praias vazias. Em São Vicente, onde as praias foram fechadas somente durante a noite - das 18 horas de quinta às 6 da manhã desta sexta - vários grupos de pessoas furaram o bloqueio e invadiram a Praia do Gonzaguinha. Houve aglomerações também no calçadão.
 
A cidade de Praia Grande manteve as praias liberadas, mas a prefeitura não conseguiu evitar as aglomerações. Centenas de turistas e moradores se reuniram na orla sem usar máscaras e as praias ficaram lotadas. A faixa de areia chegou a ser coberta por guarda-sóis.

Conforme a Secretaria da Segurança Pública, o policiamento no litoral durante a virada do ano foi reforçado com um contingente de 2.300 homens. Já a Secretaria de Desenvolvimento Regional informou que a gestão das praias é municipal.
 
 





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



CENÁRIO URBANO  |   26/01/2021 16h53





CENÁRIO URBANO  |   26/01/2021 15h21


CENÁRIO URBANO  |   26/01/2021 11h53







google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb