SAÚDE

Eficácia da CoronaVac ficou abaixo dos 90% em testes no Brasil.




Divulgação

A CoronaVac, vacina desenvolvida no Brasil pelo Instituto Butantan em parceria com a empresa chinesa Sinovac Biotech, não atingiu o patamar de 90% de eficácia contra a Covid-19 nos testes realizados no Brasil, confirmou o secretário estadual de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn.
 
“Para se ter uma ideia, a vacina da gripe tem uma variação, dependendo de cada uma das faixas etárias, de proteção, que vai de 40% até 80% em determinados grupos. Então, nós sabíamos que a efetividade jamais atingiria 90%. Mas o que nós não imaginávamos é que a empresa queria, e objetivava,uma unicidade, um resultado muito próximos em todos os países, e não somente em um ou outro país”, disse Gorinchteyn, em entrevista a Rodrigo Bocardi, no programa Ponto Final da CBN.
 
A declaração foi feita após a Turquia anunciar, na última quinta-feira (24), que a CoronaVac teve eficácia de 91,25% contra o novo coronavírus nos testes realizados no país.

O governo de São Paulo pretendia divulgar ainda na quarta-feira (23) os dados sobre a eficácia da CoronaVac, além de encaminhar no mesmo dia o pedido de registro definitivo e de uso emergencial à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Porém, após decisão contratual da farmacêutica chinesa Sinovac em atrasar a divulgação dos números, o resultado preciso da eficácia foi adiado para daqui 15 dias. Mesmo assim, o governo estadual garantiu que o “atraso não altera a produção, nem o programa de imunização”.
 
O governo turco oficializou que os testes da CoronaVac por lá apontaram uma eficácia de 91,25% contra o vírus da Covid. Os resultados obtidos no país são fruto de análises preliminares e foram obtidos em testes com uma amostra de voluntários menor.

Em nota, o Instituto Butantan disse que “não comenta informações relativas a contratos da Sinovac com outros países”.
 
“[Nos testes do Butantan] Não atingiu 90% e, mesmo não tendo atingido isso, valores menores, esses valores menores já nos dão, que é acima de 50%, nós não sabemos o quanto acima de 50%, se foi 60%, 70% ou 80%, mas eles estão em níveis que nos permitem fazer uma redução de impacto de doença na nossa população”, completou Gorinchteyn.

 
Além do Brasil, a CoronaVac também está em fase de testes finais em outros quatro países: Turquia, China, Indonésia e Chile.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM





google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb