POLÍTICA

Entre 2016 e 2020, 11 vereadores de Parnaíba tiveram aumento de patrimônio.




Reprodução.

Dos atuais 17 vereadores, 11 tiveram aumento em seus patrimônios nos últimos 4 anos, de acordo com as Declarações de Bens apresentadas à Justiça Eleitoral. A lista é encabeçada pela parlamentar Enfermeira Nelci (PL), que em 2016 declarou R$ 55.400,00, e neste ano R$ 784.324,00. No comparativo entre as duas declarações, na última houve o acréscimo de 1 apartamento no valor de R$ 453.824,000 e de 3 cotas de consórcio imobiliário, cada uma no valor de R$ 100 mil.
 
Em segundo aparece o candidato a vice Magno Mori (PSB) que saltou de R$ 542.915,22 em 2016 para R$ 1.549.986,40. Os maiores valores estão concentrados em 3 benfeitorias em terrenos que chegam  R$ 589 mil somados  a R$ 785 mil em depósitos bancários.
  
Já o tucano Gino Mariano que registrou 109% de aumento em seu patrimônio acrescentou uma residência no valor de R$ 270 mil e um terreno de R$ 50 mil, e R$ 50 mil em dinheiro em espécie. Hugo Silva (DEM) aumentou seu patrimônio em 72,3%, e parte disso está concentrado em imóveis, principalmente terrenos, que no caso chegam a 5 e uma casa.
 
O quinto parlamentar com aumento em seu patrimônio foi Vicentão (MDB) que nos últimos 4 anos registrou 66% de aumento, saindo de R$ 184 mil em 2016, para R$ 305 mil, saltando de 2 terrenos para 5 e mais 2 imóveis.
 
Contudo, mesmo com esses registros substanciais, coube a três parlamentares os maiores aumentos, que ultrapassaram as centenas de milhares no comparativo, já que em 2016 a declaração se resumiu em apenas linhas telefônicas, como foram os casos de Ebenezé de Paula (PSC), que saiu de R$ 400,00 para R$ 201.300,00. Adalto Pessoa (PSDB) de R$ 500,00 para R$ 160.000,00  e Sabrina Colela (Avante) que viu seu patrimônio em 4 anos aumentar de R$ 650.00 para pouco mais de R$ 120 mil.
  
Porém, há aqueles que reduziram, e neste caso estão Ângelo da Silva (PTB), Luciano Almeida (Republicanos), o candidato a prefeito Marcos Tonho (PSDB) e Nilson Cadeirante (Podemos) e o mais emblemático com o vereador Xerife (Pode), que praticamente perdeu seu patrimônio, já que em 2016 chegava a R$ 160 mil e agora se resume em uma linha telefônica no valor de R$ 500,00.  
Matéria com números atualizados as 20:40h
As variações foram suprimidas para um melhor entedimento no comparativo, prevalecendo a diferença entre os valores totais





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



POLÍTICA  |  15/10/2020 - 16h





POLÍTICA  |  15/10/2020 - 11h


POLÍTICA  |  12/10/2020 - 09h







google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb