POLÍTICA

Bolsonaro tem 3 dias para se manifestar sobre impulsionamento de mensagens.




Reprodução.

O corregedor do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Og Fernandes, permitiu nesta sexta-feira (29) que o presidente Jair Bolsonaro, o vice-presidente Hamilton Mourão e empresários apontados por suposto impulsionamento de mensagens prestem informações no prazo de três dias sobre o pedido do PT, para que sejam juntados às Ações de Investigação Judiciais Eleitorais (Aijes) dados do inquérito que apura ofensas a ministros do STF.

Depois do prazo de três dias, o corregedor determinou que, "com ou sem resposta", o Ministério Público Eleitoral seja ouvido também em três dias. Depois disso, ele avaliará qual será o procedimento a ser adotado em relação ao pedido do PT.

Ao todo, ainda tramitam no TSE oito ações que investigam a campanha de Bolsonaro e Mourão. As ações mais polêmicas são as que tratam do disparo de mensagens em massa pelo WhatsApp.

O PT já pediu ao relator dos processos, ministro Og Fernandes, o compartilhamento das provas do Supremo com o TSE.

Em agosto, Og vai deixar o tribunal eleitoral e vai ser sucedido por Luís Felipe Salomão, que assumirá a relatoria dos casos.





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



POLÍTICA  |  07/07/2020 - 15h





POLÍTICA  |  07/07/2020 - 12h


POLÍTICA  |  06/07/2020 - 10h







google.com, pub-8716156245551661, DIRECT, f08c47fec0942fa0 facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb facebook-domain-verification=8oizd3j6a3sk7a47ngn154tlepi1hb